Um filme dirigido por Murilo Salles com Leandra Leal.
Baseado na obra de Clarah Averbuck.

Esse era o nome do filme até praticamente o final da montagem. Murilo Salles demorou mais de um ano trabalhando na edição. Uma edição que no início possuía mais de 4h30min. Através dos cortes, da supressão de cenas inteiras e até de personagens, o filme foi ganhado identidade, deixando de ser apenas UMA história para adquirir um nome, um NOME PRÓPRIO.

Esse não foi um processo fácil. Muito material bom foi deixado para trás. E quando o material é bom não tem jeito, sempre fica aquela maldita pulga atrás da orelha. Coçando, perturbando e nos fazendo pensar: será que fizemos a coisa certa?

O que vc não vai ver em Nome Próprio # 1 – O Homem Sem Nome!


3 comentários:

Daphne disse...

Essas cenas também são ótimas, mas acho q foi uma sábia escolha não colocá-las, porque o filme pode passar sem elas e ainda assim ser maravilhoso. O bom é que podemos saciar o gostinho de "quero mais" que fica depois de vermos o filme no cinema! Aliás o filme todo é apaixonante, mesmo essas cenas que não entraram! Parabéns!

Mach (nicht) auf disse...

Seria legal se as cenas cortadas fossem disopnibilizadas de alguma forma... Adoro quando os filmes possuem um universo quase infinito de complementos.

Lika disse...

[E mais um homem pra Camila...rs...]

Realmente as cenas foram muito bem escolhidas, essas realmente não caberiam, havia uma Camila muito sóbria,levou o cara pra casa... parecia cena de teste... a Camila que ficou "montada" no filme é muito mais intensa e claramente não é "sóbria"...e vai vivendo muito mais por um impulso agressivo, do que a passividade do "namoro em casa"...

Músicas de Camila