Um filme dirigido por Murilo Salles com Leandra Leal.
Baseado na obra de Clarah Averbuck.

Silabas traçantes voando. Frases de efeito moral disparadas. Quem já errou que atire a primeira ofensa.

Nos blogs web afora, têm rolado uma série de criticas ao filme e à Clarah Averbuck, confundindo as duas coisas e falando mal sem inclusive terem visto o filme. No meio da disputa entre as duas Camilas irmãs, separadas pelo fosso da adaptação, caem os primeiros civis. Blogueiros atingidos após um debate. E o pior, por fogo amigo, de quem está cuspindo no prato que comeu e que ainda come, só que com outra louça.

Como uma boa ofensa não vem sozinha, logo aparecem os primeiros árduos defensores dos blogs, da liberdade e da igualdade. Uma simples briga de família começa a tomar maiores proporções.

A guerra entre a Camila da Clarah e a Camila do filme vai durar ainda por um bom tempo. É inevitável. O que podemos e devemos fazer é separar os seus autores! O filme não é o "Filme da Clarah", como escreve Cardoso no blog contraditorium.

Clarah é Clarah e "Nome Próprio" é "Nome Próprio". Não façam das palavras dela as nossas. Isso aqui não é o adioslounge!

A briga por qual é a melhor Camila ou por defender tal e qual estilo de escrita, não passa da mesma disputa. Uma disputa que não reconhece nem valoriza a diferença. Que prega o autoritarismo do melhor, daquele que se acha melhor. Uma disputa para soldados de chumbo. Soldados de uma guerra que poderiam ser de uma única e mesma brincadeira; uma brincadeira com a vida. Pois tanto a Camila da Clarah quanto a nossa, a escrita acadêmica quanto a escrita cotidiana do blog, tentam dar conta da mesma coisa: viver.

5 comentários:

Anônimo disse...

adorei o filme!!! adoro a Clarah, mas filme é filme e livro é livro. A adaptação é livre e o filme é do
diretor, não tem jeito, portanto, há q se respeitar seu trabalho(caprichadíssimo, diga-se de passagem), sua arte.
Saí bastante satisfeita do cinema depois da pré-estréia; torço muito pelo filme, pela Clarah, pelo cinema nacional.
Saiu matéria superbacana sobre o filme no caderno Link do Estado de S.Paulo de segunda-feira 14.07
Parabéns a todos envolvidos no filme!!!!
L.

narciso não se vê no espelho disse...

Na boa, é muita prepotência da Clarah Averbuck e seus amigos. Seus livros são baseados em vivências pessoais, e está tudo ali, inspiração, ficção e memórias ou histórias para contar. Já fez cagada até não poder mais, tipo porra loca, e não se assume; muito menos interessante do que uma Rita Lee - em histórias, criatividade e caráter. Vendeu os direitos das obras e não gostou do que viu, encheu o saco do diretor. Daí agora fica essa punheta. O melhor do filme é a Leandra leal. Não tem mais clarah nessa história. Aliás quem é clarah???

Violet Scott disse...

tem gente que deveria ter ido ao bate-papo ontem...
foi ótimo.
beijo, VS.

David Cejkinski disse...

era de se esperar que toda essa polemica e confusão referente ao filme fosse gerada. é um filme muito preciso e delicado. quem não se entrega a esse tipo de filme vai ficar na superficie e ver um filme recheado de muita nudez e só,nada vai fazer sentido, os textos, a poesia, a narrativa as interpretações. do que tenho notado das pessoas que vão assistir o filme é que ou amam ou odeia, realmente não tenho meio termo é um filme feito de paixão e nela ou a getne se joga ou despreza.
mas é boa essa polemica toda por que o publico esta regindo tambem passionalmente a ele, e isso no minimo é bem curioso.
bjs

.lucas guedes disse...

meo, vcs vão levar em consideração um bloguezinho idiota que leva fama com a desgraça dos outros, cheio de propaganda, piadinhas sem graça, postezinhos hipernerds e sem conteúdo algum como este citado aih? fala sério, né. eu mesmo cheguei a fazer uma ou outra crítica do filme, porque não é perfeito, assim como ninguém é, nem a camila, nem a clarah, nem nenhum filme. mas pelo menos fui lá, assisti e tenho o que falar. falar mal (ou bem) sem ver é atitude primária, ridícula. MEODEOS, será tão difícil entender que blog é blog, livro é livro, filme é filme, autor é autor, roteirista é roteirista! que saco.

Músicas de Camila