Um filme dirigido por Murilo Salles com Leandra Leal.
Baseado na obra de Clarah Averbuck.

"Hoje, os escritores jovens querem ser lidos na segunda-feira, ser
publicados na terça, ter um êxito extraordinário na quarta e na quinta ser
traduzidos em todo o mundo."
António Lobo Antunes

6 comentários:

Violet Scott disse...

Acho que ando ainda um pouco mais paciente.

Rosangela disse...

Creio que essa pressa exarcebada só leva a falta de originalismo, criatividade e até mesmo a falta de conhecimento. Escrever exige talento e boa leitura, o sucesso é apenas consequencia!

Nome Próprio disse...

O sucesso é só consequência, OK. Mas, e os textos escritos nos blogs, feitos, publicados, consumidos e espalhados no calor do momento? Eles não têm o seu valor? O valor da literatura está no tempo que a pessoa levou para escrever ou para ser compreendida?

Rosangela disse...

Creio que na dedicação, no empenho de se expressar, de se mostrar ao mundo e a nós mesmos. A maior satisfação acredito eu é se fazer entender e se conhecer no mais profundo do "eu" em questão e ao outro tbm, logico!
Ou seja, o valor está nos dois fatores.
Bjks!

maria rezende disse...

mas tem duas pressas: a urgência criativa, que é a pressa boa, e a ansiedade do resultado, que é a pressa ruim ainda mais se a expectativa é de fazer sucesso, né? porque no mundo da literatura isso é quase impossível...

MAGNUN disse...

tou louco pra ver esse filme.

Músicas de Camila